Supremo Tribunal – indignação é a chave

Citizen Journalism

Supremo Tribunal Federal (STF) é a mais alta instância do Poder Judiciário do Brasil. Nossos juízes estão agora reunidos decidindo a vida da quadrilha do mensalão. Lula afirmou hoje cedo, com respeito a acompanhar ou não o julgamento: “tenho mais o que fazer”. Provavelmente algum encontro com o Paulo Maluf…

Valha me Deus!

Enquanto isso aqui na terra vamos nos virando para melhorar. Tem sim muita gente imbuída de grandes causas: Fundação Airton Senna, Crami, Associação Católica Pequeninos do Senhor, Centro Infantil Boldrini, entre outros tantos.

De outro lado falta consciência em pequenas coisas. A mesma pessoa que fica horrorizada por conta dos assaltos ao dinheiro público para na vaga destinada deficientes ou idosos e não sente culpa nenhuma – não percebe a conexão dos fatos – o mesmo estilo Gerson de ser.

Hoje cedo em um prédio no centro de Campinas tirei a foto abaixo, flagrante desrespeito a lei:

A vaga para deficientes totalmente bloqueada, falta indignação! Ninguém vai reclamar?

Não nos indignamos com fatos como este porque não nos afeta? Será? Será que é porque não temos cultura? Pior, talvez seja porque também façamos o mesmo sem nenhuma dor?

Em 2001 fui candidato a vereador, foi uma experiência incrível. Fiz muitos amigos, conheci muita gente. Todo mundo tinha que ser candidato uma vez na vida. Uma coisa me marcou, a expectativa das pessoas. Não de todas, mas de uma grande parcela. A frase em geral é “entrando lá você vai roubar como todos roubam”!

Isso é expectativa, esse é o problema e é por isso que não há indignação. Se uma pessoa espera o pior e o pior acontece do que é que ela vai se indignar? Concorda? Houve apenas o cumprimento daquilo que se esperava.

Sou mais PSDB, mas aprendi com um velho militante do PCB que “Espaço político não fica vazio, Rix!” diz Raildo Neves e acrescenta sempre: “Você não ocupa, outro vem e o faz”.

Portanto, são nossos filhos bem criados que têm que ser candidatos! São pessoas de bem que tem que se meter na política e ocupar os espaços. Alienação e conformismo não trazem mudanças.

E, nota importante, temos que trocar, trocar e trocar. Como disse Mark Twein “Politicians and diapers must be changed often, and for the same reason.” (Políticos e fraudas têm que ser trocados com frequência, e pelo mesmo motivo.)

O ex-presidente Lula não vai… mas nós devemos acompanhar o julgamento o quanto for possível, esperar (expectar) o melhor, exigir e fazer cumprir. O mesmo devemos fazer nestas eleições, participar, fiscalizar, tomar notas e cobrar.  A sociedade melhor depende da cada um de nós.

Leave a comment

Back to Top