Italiano Viaja o Brasil de Bicicleta

Giorgio Bravi (59), educador aposentado, está em uma aventura na América Latina há +/- 2 anos.  Tudo começou no Brasil.  Ele chegou, claro, de avião em São Paulo e ainda de avião foi para Alagoas, foi também o fim das viagens aéreas.

giorgio bravi
foto Walter Lemos

Em Maceió (AL) comprou uma bicicleta cargueira  e se manteve vendendo pizzas, bolos e pasteis na praia.  Mas o aventureiro não ficou parado lá por muito tempo. Giorgio já esteve no Mato Grosso, no Pará, no Amazonas, Acre, Roraima, Goias… Até no Peru!

A principio ele saiu de Alagoas só com a bicicleta, a mesma cargueira que está com ele até hoje,  saiu sem se quer ter como se manter. A necessidade é a mãe das invenções Giorgio começou a fazer e vender artesanato. Primeiro canetas decoradas com fio de cobre e agora incrementadas com figuras de bicicleta, coração, estrelas e etc.

O dinheiro do artesanato ajuda nas despesas pessoais e também com as da bicicleta. Mas a maior força, para seguir viagem, vem de estranhos ao longo do caminho, gente como Walter e Márcia Lemos, de São Vicente, na Baixada Paulista, que o receberam em suas casas. Se não fosse por estes inumeros amigos no caminho eu não conseguiria, disse Giorgio emocionado e grato.

17309545_10154374281086845_5647492111190563127_n

Giorgio me disse que adorou o povo da Baixada, foi muito bem recebido por todos. Na Terça-Feira passada os Lemos o levaram para o conhecido Pedal Terror no Guarujá.  “Tantos ciclistas juntos (95 nesta ultima edição), foi maravilhoso, que lugar lindo, quanta gente bacana!” Afirmou Giorgio.

17308827_10154374281566845_853156142372981008_n

Walter me informou que foi um prazer ter o ciclista em sua casa. “Foi como poder fazer parte da viagem dele”, afirmou.  Ficamos sabendo de muitos detalhes interessantes.

17358816_1848776502002941_6723368523270290577_o

“Na verdade todo o povo brasileiro é muito bom de coração, gosta de viajantes e de ajudar. Agora vou até o Chile visitar uma amiga e descansar por lá três meses” contou Giorgio. Perguntei se de lá voltaria para a Italia. “Não, volto para o Brasil!” disse enfático, “não volto mais para a Italia!”

Fico feliz de perceber que ainda há muito amor e carinho no coração do nosso povo. Se você tiver a sorte de encontrar o Sr. Giorgio Bravi no seu caminho, receba-o, vai ser uma oportunidade muito enriquecedora para você, sua família e comunidade, lembre-se: ele é um educador.   🙂

Fotos de Walter Lemos durante o Pedal Terror da ultima terça feira:

17309105_10154374280671845_2290787505664218358_n 17424617_10154374279976845_489930238461278086_n 17362383_10154374281016845_1711199372652202041_n

40 dias – Hambúrger industrializado não

Em 2011 escrevi um artigo sobre amido na nossa alimentação. Agora com este escândalo das carnes fracas, carnes podres, papelão da e na industria alimentícia do Brasil o tema se torna outra vez relevante.

Pensa comigo. Por que uma mortadela custa mais que a outra? Ou uma mussarela ou salsicha? (ou hambúrger) Um fator é: quanto mais amido, mais barato. O contrario também é verdade. O barato sai caro e gordo… (isso aqui estava falando de coisas lícitas…)

Visitei uma fabrica de mortadela e vi com meus olhos. O processo super higiênico. As carnes já chegam cortadas, embaladas, tudo direitinho. (Não tem jornal não.) Logo são picadas, moídas e colocadas nos misturadores. A mortadela prime deles leva 25% de amido, a mortadela B já leva 60% a  C… deixa pra lá.  Acho que me fiz entender. (artigo completo)

Na época não tinha essa questão das carnes fracas rolando e este é mesmo um dos melhores frigoríficos do país. Vende a mortadela mais cara do mercado. Vende até para países Árabes.

Agora descobrimos que outros estão colocando porcarias na nossa comida. Mais do que o que já sabíamos: conservantes, corantes, amido, aromatizantes, etc.

Temos que reagir!

A primeira reação é assumirmos a responsabilidade por nossas escolhas. Vamos decidir comer melhor. O YouTube está aí cheio de receitas fantásticas, cozinhar pode ser muito bom para melhorar os relacionamentos na família, aproveita esta oportunidade, temos que ser criativos.

Segunda reação. Vamos dar uma lição nestes caras? Participe do Boicote do Hamburger Industrializado. São só 40 dias, mas eles vão nos ouvir. Somos bons de piadas, ótimo. Vamos ser bons de boicote também.

Venha!

Bom dia!
Notícias tristes ontem. Deram um nó no estamago, não foi?
Nada de novo entretanto. Aqui a regra é exportar. O mote é: exportar é o que importa… E tudo de bom, o melhor das frutas, o melhor das carnes, dos cereais, dos manufaturados também, vai tudo embora. Pra nós fica o resto e, mesmo assim, caro. Agora além de restos caros, também podres e misturados com lixo. *Tá na hora do pau comer.* Tá na hora de aprendermos a boicotar, agir em grupo.
Que tal três meses sem hamburgers? (por exemplo) Nada de Mack, King, nada de caixinha… E aí, alguem topa?!
O que vamos fazer, só piadas, só ficar chocados?
*Estão nos matando.*
O que mais é preciso acontecer?
 
Quero ver os caras vir a público pedir desculpas e se comprometer com qualidade.
 
Bora?
Montei um evento, 40 dias apenas:
https://www.facebook.com/events/267919616997294/

boicote2

 

 

 

 

 

 

 

 

Just in case
Sugestão de hambúrger caseiro:

Saiba o que você come: Hambúrguer caseiro X industrializado / Receita

Pedalar em Guarujá

Venha pedalar no Guarujá!

Mais de 50 % deste pedal foi feito por ciclovias segregadas, tudo plano, fiz agora pouco para postar aqui, sem preocupação com composição das fotos….

Fui rápido, mas o trajeto pode ser feito com várias paradas,  mais tempo. É perfeito para iniciantes com alguma experiência.

Só na praia da Enseada, do morro do Maluf até a Península são 7/8 km – ida e volta são 15. Um pedal light, o tempo todo com a vista do mar, em ciclo faixa 100% do tempo.

Guarujá está a uma hora e vinte de São Paulo, dá tranquilo para vir e passar o dia. Você pode conseguir um guia para seu grupo, se achar melhor.  Você pode vir de ônibus, já pensou nisto?  Veja aqui como.

Imagens, em um dia parcialmente nublado:

Leia: Vem pedalar na Baixada!
Conheça também o Pedal Matinal do Guarujá:

A natureza na sua janela

Pássaros podem ser muito interessantes e relaxantes para o observador humano, principalmente se estiverem soltos.

Sua casa, um restaurante de passarinho?

Obs: em geral não se deve alimentar animais silvestres, entretanto estes pássaros são urbanos, vivem entre nós, estão acostumados aos seres humanos.  Cuidado, não coloque comida demais, limpe o local todos os dias, ofereça alimento fresco, nunca ofereça pedaços de pão.

Vamos lá:

  • Do segundo andar pra cima

Bem-te-vi, maritaca, papagaio, sabiá-do-campo e sanhaço.

O que servir: Banana, mamão e sementes de girassol, arroz cozido frio (sem óleo ou tempero).

  • Até o segundo andar

Beija-flor, bem-te-vi, maritaca, sabiá-laranjeira e tico-tico.

O que servir: Mamão e banana. Se você tem cachorro ou gato, saiba que o bem-te-vi rouba ração. Então, deixe a vasilha do seu bicho longe das janelas.

  • Térreo

Asa branca, beija-flor, juriti, pardal, pica-pau, rolinha e sabiá-laranjeira.

O que servir: Mamão, pitanga, amora e jabuticaba são um banquete para esses pássaros. O pica-pau adora abacate e sementes de girassol.

Veja o vídeo abaixo, feito a partir da janela do meu quarto e da varanda alternadamente, mesmo sem o tripé, ficou ok

Bem-te-vis x Rolinhas Roxas:

Bicicleta – cadê suas fotos

BICICLETA ID (bike id)

É triste, mas um fato. Todos podemos ser vitimas de furto. Vários amigos e conhecidos meus já sofreram assalto em pleno percurso de algum passeio.  Pedalamos em grupos, evitamos locais perigosos,  mas…

O que fazer se sua bicicleta for roubada?

Sempre faça a ocorrência, sempre! A polícia muitas vezes já conhece os ladões. A PM os para, investiga as bicicletas, mas se não há um alarme de furto, um BO… têm que os deixar ir embora.  🙁

No meio do alvoroço, do “aí meu deus, minha bike, minha bike! E agora, cadê?!” Dificilmente a pessoa vai se lembrar de numero do chassi, cor, marca, marcas, acessórios, etc.

É aí que um post no seu blog, um álbum no Face, fotos salvas na nuvem, podem ajudar e muito. O que aqui e agora pode parecer uma coleção bobinha de fotos, na hora da necessidade, vai se mostrar um valioso instrumento.

De fato, rapidamente a policia pode saber como sua bicicleta é em detalhes. Você não vai ficar explicando, vai mostrar. Os primeiros dez, quinze minutos, são os mais prováveis de você reaver sua magrela.

Criei um álbum no Google Fotos:
pratinha

Faça hoje mesmo fotos das suas bicicletas e poste. No Face faça um álbum, pois álbuns são mais fáceis de encontrar do que ficar rolando a tela para achar um post antigo, coloca como privado para não ficar estranho na sua linha do tempo.

Decore o número de série (chassi) de suas bicicletas ou dê um jeito de o ter sempre à mão. Você pode não ter ou estar com a nota fiscal da sua magrela, mas saber ou ter à mão o número é uma boa prova de que ela é sua.

O que esperamos mesmo é que nada lhe aconteça, ande sempre em grupo, evite locais sabidamente perigosos ou ermos.

O mote aqui é prevenção, fique sempre ligado!

———————————————

Saiba mais, clique na imagem.
Saiba mais, clique na imagem.

Carta aos Novos Adms. do Guarujá

Em abril de 2015 vários representantes do ciclismo no Guarujá estiveram reunidos com responsáveis pelo setor de Educação para o Transito e Estatística da Diretoria de Transito da Prefeitura do Guarujá.

Alguns dos presentes foram: Rose Barreto, Edvaldo Soares, David Souza entre outros.

No encontro várias reivindicações e problemas foram apresentados. Resumindo: a necessidade de Manutenção, Integração e Ampliação das ciclovias da ilha.

De acordo com os representantes da prefeitura vários projetos já estavam em andamento. Por exemplo, a integração da via que vem do Centro da cidade até quase a Rodoviária com a via que vem de Vicente de Carvalho. Certamente uma obra importante para evitar que acidentes aconteçam. Basta passar lá para ver que nada foi realizado.

Pedimos também: melhoria da sinalização, retirada de postes do meio da via na Ademar de Barros e reparos em geral, fiscalização, mais atenção em geral para as necessidades deste meio de transporte que é imprescindível para a cidade, mas nada aconteceu…

falapedal-jpgCarta ao Prefeito O Jornal A Ilha foi lançado no Guarujá apenas dois dias antes do dia da votação para os cargos municipais e se transformou no ultimo palanque para ambos os candidatos. Tornou-se, por meio da página do caderno Fala Pedal, o primeiro a conter uma carta aberta ao Prefeito eleito, agora sabemos, Dr. Válter Suman.  Nos seguintes termos:

Aos Novos Adms. do Guarujá

– Ilustre Prefeito e Vereadores da maravilhosa cidade do Guarujá, queremos  apresentar ideias, as necessidades básicas continuam as mesmas mencionadas acima:

manutenção, integração e ampliação das ciclovias.

Quase metade da população fixa desta cidade se locomove de bicicleta, atenção à necessidade deste público é fundamental e afeta a população com um todo.

Temos três ciclovias principais: a da Enseada, da Ademar de Barros e da Santos Dumont não integradas adequadamente. A ciclovia que liga a entrada da cidade ao Morrinhos sumiu em muitos pontos. Precisamos de uma ciclovia ligando a Ademar de Barros ao Guaiuba e do Guaiuba até a Enseada passando pela Astúrias e a Pitangueiras.

Já temos um patrimônio de ciclovias muito bom, é preciso cuidar e ampliar. Motivar o comercio a participar disto. Este é um investimento que vai dar retorno ao município com certeza. São Paulo, aqui pertinho, tem uma população enorme, com recursos e com fome de novos caminhos para pedalar.

Imaginem um roteiro ciclo-turístico que começa na Península e vá até Balsa pelo Centro e a Ademar de Barros, volte passando pela Caiçaras, Marinas, Guaiuba, Tombo, Astúrias, Pitangueiras… quer coisa mais linda?! Está aí um projeto que tem tudo haver com a região e com a vocação da cidade. Um cuidado que vai gerar renda para a cidade, emprego, qualidade de vida, etc.

Prof. Antonio Carlos Rix, Responsável por esta página,
Blogueiro, Ciclista e Cidadão do Guarujá

SOS – Anjos do Verão

ruimaisvoce
Bata Palmas para Esta Ideia!

O verão chegou, nesta estação aumentam os casos de crianças que se perdem dos pais e responsáveis em praias, shoppings, terminais, parques e outros lugares com grande movimentação de pessoas.

Regra básica

Criança tem que estar sempre supervisionada, ao alcance da vista sempre. Você pode estar em um grupo grande, alguém tem que ser O guarda da criança, O responsável. (Um revesamento pode acontecer = troca do “guarda”)

Para reencontrar em caso necessário:

1 avise as autoridades, dê o max. de informação possivel
2 organize um pequeno grupo e bata palmas cantando criança perdida.

Assim:

bata palmas e grite “criança perdida”
bata palmas e grite o “nome da criança”

Não saia do lugar, se a criança estiver em movimento só ela estará se afastando. Se você sair caminhando para o lado errado, os dois estarão cada vez mais longe.

Veja como se faz:
https://youtu.be/TuQ0SQDQ-kc?t=33s

Áudio com dicas básicas de segurança:

WhatsApp pessoa perdida: 13 99148-5959  (somente texto) 

O trabalhos dos Anjos do Verão:
https://www.youtube.com/watch?v=1T1VLyN6W-U  Band

Veja a realidade nesta matéria da Globo:
https://www.youtube.com/watch?v=zGsT3NerXJo  Fantástico

Porque as pessoas se perdem na praia:
https://www.youtube.com/watch?v=ToZGLyPtcEE  Fantástico

Compartilhe este post com seus contatos, pois há aqui instruções importantes para evitar que crianças desapareçam. Também para ajudar que sejam encontradas o mais rápido possível.

Anjos do Verão no Mais Você:
https://globoplay.globo.com/v/5574875/

Internet e Privacidade

Como tornar nossa experiência na Internet mais segura?  Será que estamos dando muita informação a amigos e desconhecidos?  Você já se pegou preocupado com uma imagem, texto, áudio ou vídeo que postou?

Nem tudo está nas mãos do Mark Zuckerman ou Bill Gates. Alias acho que eles usam as soluções alternativas que vou apresentar aqui.  Abaixo algo que circulou no WhatsApp:

Em termos de internet, existem soluções (portais e Apps) abertas e fechadas.  Imagine assim, você está de casa nova, é uma casa muito grande, com cômodos que você nem sabe que existem e tudo está escancarado. Todas as portas e janelas, tudo aberto.  Você tem que ir lá e fechar uma por uma. Algumas portas (no caso do FB) não têm tranca.

Por outro lado, uma solução fechada vem com tudo fechado, tudo tem tranca, você que tem que abrir e só abre o que quiser, para quem quiser.

Vamos ver então:

+ Abertas

+ Fechadas

FACEBOOK MeWe *
Google Busca DuckDuckGo *
WhatsApp MeWe  e CyberDust
Google Drive SpiderOak

Na lista acima o que tem * já estou usando.

A maioria destas soluções foram desenvolvidas por europeus e asiáticos, gente que não quer ficar nas mãos do Tio Sam. Gente com o saco cheio de tanta propaganda nas suas telas.

DuckDuckGo é uma beleza, você pode pesquisar o que quiser que não vai vir propaganda na sua tela o resto da semana, ou semanas, a ferecer ofertas “imperdíveis”…

duckduckgo
.
a
O MeWe ainda é muito novo, veja mais notícias sobre ele no UOL Tecnologia .  O desenvolvedor, Mark Weinstein, diz o seguinte: “no Facebook vida comercial, no WeMe vida pessoal”.

Gosto do Google Drive, acho excelente para o dia a dia na escola, mas se fosse passar ou armazenar informações pessoais importantes, talvez secretas, usaria SpiderOak. Tudo é questão de se avaliar e fazer escolhas. Saber quando é preciso mais ou menos privacidade, avaliar os riscos.

Que bom que existem alternativas, explore!

 

 

Chapecoense nos faz pensar

As tragédias vem, acontecem, temos de aprender com elas. Por exemplo, deve um grupo inteiro de qualquer tipo – esportivo, estudantil, empresarial, etc – viajar todo em um único avião?

Você,  agora, colocaria sua família inteira num único ônibus, barco ou avião para uma viagem?  Os times fazem isso direto. Temos que pensar, rever procedimentos,  concorda?

Está todo mundo comovido com a morte dos jogadores… A tragédia do time Chapecoense é realmente uma lástima. Claro que ficamos abalados, não é pra menos, quantos sonhos terminados sem sentindo, um horror.

Nos questionamos, nos vemos frente a frente com a morte. Percebemos que a vida é só o que fazemos dela enquanto podemos. Confrontados com a nossa finitude nos perguntamos: que diferença faço ou posso fazer?

Propomos uma reflexão.

Falta de ética e ganância matam no mundo muito mais que acidentes de aviões.

“Há 800 milhões de pessoas desnutridas no mundo, um bilhão de pessoas passando fome, 30 mil crianças morrem de fome a cada dia, 15 milhões a cada ano, um terço das crianças dos países em desenvolvimento apresentam atraso no crescimento físico e intelectual, 1,3 bilhões de pessoas no mundo não dispõe de água potável, 40% das mulheres dos países em desenvolvimento são anêmicas e encontram-se abaixo do peso. Uma pessoa a cada sete padece fome no mundo.” Fonte: TNH1

30.000 crianças com menos de dez anos, é um número difícil de assimilar… 30 mil! São 20  mortes por minuto. É uma tragédia igual a do Chapecoense a cada 4 minutos.

O que podemos fazer?

Unicef, MSF, Compacion… Fazem trabalhos a nível mundial contra a fome e doenças. Se você ainda não participa de uma ação concreta, veja:

Míseros dez reais por mês pode ser uma ajuda valiosa. Pesquise, se envolva.  Escolhi uma organização nacional (Amigos do Bem) e outra internacional (MSF). Eles sabem, todo mês pinga.

É pouco, mas o pouco de muitos faz diferença. Pode diminuir os números desta tragédia e dar a nós a chance de ser parte da solução por um mundo melhor.

http://www.amigosdobem.org.br

http://www.msf.org.br

====

Criança ou velhinho Esperança? http://vencedores.com.br/esperanca/

 

 

Ninhos do Livro…

298366_655222_img_8997_web_A Livraria a Saraiva,  com o mote #lerfazbem, lança a campanha cujo principal objetivo é incentivar a leitura. Uma das primeiras ações será em parceria com o projeto “Ninho de Livros”, nascido no Rio de Janeiro por meio da agência de benfeitorias Satrápia, e que a Saraiva traz agora a São Paulo.

Ninhos de livro chega em São Paulo com muito amor, música e festa.  Foi Sábado passado, dia 29, no Parque do Ibirapuera.  Agora, espalhadas pela capital paulista, pequeninas bibliotecas colaborativas, que remetem a casas de passarinhos, levam cultura para toda a cidade.

A ideia é simples:

Basta escolher qualquer obra disponível no ninho, sem pagar nada por isso. Além de estimular a leitura, a iniciativa promove a economia colaborativa, ao convidar o leitor a deixar no espaço um livro para outra pessoa e, assim, continuar o ciclo.

Serão 20 ninhos estrategicamente localizados pelo município. Diversos espaços públicos de São Paulo serão contemplados com a ação, como por exemplo: Jardim Botânico, Rua Oscar Freire, Parque da Água Branca, Parque do Povo, Parque Villa-Lobos, Praça Benedito Calixto, Praça Roosevelt, SESC Itaquera, Terminal Rodoviário Tietê e vão livre do MASP, na Avenida Paulista.

Destaque para os primeiros ninhos instalados em regiões próximas a alguns projetos sociais locais: Ateliê Azu, Casa Ecoativa [Ilha do Bororé], Centro de Arte e Promoção Social [Grajaú], Escritureiros – Aventureiros da Escrita de Parelheiros, Grupo Opni, Projeto Arrastão e Escola de Notícias [Praça do Campo Limpo].

A Saraiva também apoia os ninhos já presentes no Rio de Janeiro: Arpoador, Botafogo, Cantagalo, Chapéu Mangueira, Cidade de Deus, Complexo do Alemão, Copacabana, Dona Marta, Leblon, Morro da Providência, Morro do Borel, Morro dos Prazeres, Parque Guinle, Parque Lage, Rocinha, Tabajara, Tijuca e Vidigal.

298366_655223_img_9008_web_
Além disso, a campanha #lerfazbem conta com o apoio de personalidades do universo literário e mercado livreiro, como o youtuber Frederico Elboni, a escritora Thalita Rebouças e a chef Rita Lobo. Em depoimentos pessoais, aparecem em vídeos, propositalmente caseiros, falando sobre a importância da leitura e convidando o público a contar também por que ler faz bem.

Ação

A ideia é muito boa e reaplicável, basta um pouco de criatividade e trabalho colaborativo. Qualquer escola, pública ou privada pode tornar-se promotor de cultura e leitura cuidando de um ninhos destes nas imediações de suas instalações. Basta apresentar a ideia em uma reunião de pais e mestres que certamente rapidamente os voluntários aparecerão: uns pra fazer as casinhas, outros pra cuidar e muitos mais para doar os primeiros livros.