Amido – como diminuir?

Uncategorized

Amido é uma reserva energética dos vegetais.  Encontra-se amido em sementes, caules, raízes, etc, de várias plantas como: trigo , mandioca , arroz , milho , feijão, batata, etc.

Além de seu uso na alimentação como fonte de glicose. O amido é empregado no preparo de gomas, colas, álcool etílico, xaropes, adoçantes e como meio para liberação dosada de fármacos diversos – os comprimidos.

 

Existe, portanto, amido do feijão de Mung, de trigo, de mandioca, de batata, do tapioca, etc – também muitos. As aplicações na industria alimentícia são inúmeras também. E aí é que mora o perigo! Você come amido sem saber.

 

Pegue, por exemplo, a farinha de trigo. A mais usada é a branca, a refinada. Refinar neste caso significa tirar tudo dela – os nutrientes, fibras, etc – e deixar praticamente só amido. Hora, é com esta farinha que o nosso delicioso pão francês é produzido, assim como massas, bolos e vários doces.

 

Bom, você diz, é fácil. “Vamos diminuir  o consumo destes alimentos, trocar pelos integrais e tudo bem. Certo?”  Infelizmente não é tão fácil assim. O que ocorre é que amido é um ingrediente utilizado em larga escala em toda a industria alimentícia, toda.

 

Vamos dar uns exemplos: tem amido em praticamente todos os embutidos. Com certeza: nas salchichas, linguiças, presuntos, mortadelas, rosbifes… Nos iogurtes, nos queijos, margarina e manteigas, nos requeijões… Nos molhos de tomate, nos molhos para salada… tem nos chocolates também…

 

Pensa comigo. Por que uma mortadela custa mais que a outra? Ou uma mussarela ou salsicha? (ou hamburger) Um fator é: quanto mais amido mais barato. O contrario também é verdade. O barato sai caro e gordo…

 

Visitei uma fabrica de mortadela e vi com meus olhos. O processo super higiênico. As carnes já chegam cortadas, embaladas, tudo direitinho. (Não tem jornal não.) Logo são picadas, moídas e colocadas nos misturadores. A mortadela prime deles leva 25% de amido, a mortadela B já leva 60% a  C… deixa pra lá.  Acho que me fiz entender.

 

Amido não é um vilão em si. Nós mesmos colocamos amido nas nossas receitas. Nós usamos farinha ou Maizena (amido puro) para engrossar um molho, um caldo, uma sopa, etc. É uma ferramente dos cozinheiros, deixa essas comidas mais atraentes. A industria faz o mesmo: quando você abre o molho de tomates ele é encorpado, quando você tritura o tomate no liquidificador ele não fica igual, fica?

 

E agora? O que fazer? Estamos gordos, rechonchudos. Na minha humilde opinião somos vitimas de super ingestão de amidos. Pense nas suas três ou quatro refeições diárias. (nos snakes também) Tem amido em todas! O que fazer? “E agora José?”

 

Um exemplo recente para diminuir:

160420114258b

Pedi um parmesiana e deixei a metade do milanesa para trás. Olha quanto sobrou de farinha frita na froma!

Tenho feito coisas simples, porque minha única preocupação e diminuir a ingestão. Quem tem problemas com gluten, por exemplo, enfrenta maiores dificuldades. Eu tenho a pergunta e a inquietação. Gostaria de saber de vocês, pelos comentários aqui no site, que respostas vocês tem? Por hora, estou atento ao que como, tirando o amido sempre que possível.

Conheça o amido resistente.
Dieta tradicional do Brasileiro é boa. link.

1 Comment

  1. amandarix 19/04/2011 at 15:58

    Realmente, é bom estarmos atentos para evitar ingerir tanto amido e ficarmos de olho na indústria alimentícia de um modo geral.

Leave a comment

Back to Top